O caso de Derendyaev e outros em Izhevsk

Histórico do caso

Na primavera de 2021, um processo criminal foi aberto contra três fiéis de Izhevsk por organizarem as atividades de uma organização extremista. No dia seguinte, oficiais do FSB e do Comitê de Investigação realizaram buscas em massa na cidade e interrogaram 14 pessoas. Maksim Derendyaev e Aleksandr Kutin foram detidos e colocados em um centro de detenção preventiva, e Sergey Ashikhmin foi proibido de certas ações. Kutin foi libertado em prisão domiciliar após 15 dias, e Derendyaev após 3 meses. Em fevereiro de 2022, o processo contra os três homens foi parar na Justiça. Foi construído, entre outras coisas, a partir do depoimento de testemunhas secretas. Em maio de 2024, o tribunal condenou os fiéis a 3 anos em uma colônia penal.

  • #
    13 de abril de 2021

    Um processo criminal está sendo iniciado contra três crentes de Izhevsk. Aleksandr Kutin, Maksim Derendyaev e Sergey Ashikhmin são suspeitos de organizar atividades extremistas (Parte 1 do Artigo 282.2 do Código Penal da Federação Russa).

  • #
    14 de abril de 2021

    Em Izhevsk, estão sendo realizadas buscas em pelo menos 12 endereços de Testemunhas de Jeová. Policiais do FSB e da Comissão de Investigação prenderam 6 homens com idades entre 31 e 56 anos. Investigador do Comitê de Investigação Aleksey Rodionov interroga Sergey Ashikhmin por 7 horas. Depois disso, Aleksandr Kutin e Maksim Derendyaev foram enviados para custódia.

  • #
    15 de abril de 2021

    De acordo com a decisão do Tribunal Industrial de Izhevsk, Maksim Derendyaev está colocado em um centro de detenção preventiva pelo menos até 14 de junho de 2021. Ele pode escrever cartas.

  • #
    16 de abril de 2021 Procurar

    O juiz do Tribunal Distrital Industrial de Izhevsk Gulfiya Zamilova escolhe uma medida de contenção para Sergey Ashikhmin sob a forma de proibição de certas ações, tendo em conta o estado de sua saúde.

  • #
    29 de abril de 2021

    A Suprema Corte da República Udmurt, presidida pelo juiz Dmitry Dementiev com a participação do promotor G. F. Nurgaliyeva, atende ao recurso de Alexander Kutin sobre a medida de contenção e o liberta da prisão. A Resolução entrará em vigor na data da sua promulgação. Alexandre passou 15 dias no centro de detenção provisória.

    O tribunal também decide transferir os materiais do caso do crente para um novo julgamento para o Tribunal Distrital Industrial de Izhevsk.

  • #
    14 de maio de 2021

    O tribunal escolhe outra medida de contenção para Aleksandr Kutin - prisão domiciliar. Ele passou 16 dias preso.

  • #
    9 de julho de 2021

    A juíza do Tribunal Distrital Industrial de Izhevsk Elena Telitsina rejeita o pedido do investigador da Direção de Investigação do Comitê de Investigação da Federação Russa para a República Udmurt Konstantin Kokorin para estender o período de detenção de Maxim Derendyaev.

    O tribunal decide mandar o crente para prisão domiciliária até 13 de agosto. Ele passou 86 dias preso.

  • #
    10 de agosto de 2021

    O juiz do Tribunal Distrital Industrial de Izhevsk Alexei Shnit indeferiu o pedido do investigador Konstantin Kokorin para estender a prisão domiciliar para Alexander Kutin. O tribunal decide substituir a medida de contenção por uma proibição de certas ações até 10 de outubro de 2021. O crente está proibido de sair dos alojamentos em que mora das 21h às 6h, bem como de se corresponder por meio de dispositivos móveis e internet.

  • #
    30 de agosto de 2021

    É tomada a decisão de trazer Maxim Derendyaev como acusado.

  • #
    2 de setembro de 2021

    O prazo da investigação preliminar no processo criminal de fiéis é prorrogado por 2 meses, até 13 de outubro de 2021.

  • #
    9 de setembro de 2021

    O juiz do Tribunal Distrital Industrial de Izhevsk, Sergey Savchenkov, defere o pedido do investigador para mitigar a medida de contenção para Maxim Derendyaev. Agora o crente está proibido de certas ações, ele não pode receber e enviar correspondência, negociar e se comunicar usando qualquer meio de comunicação.

  • #
    28 de dezembro de 2021

    Konstantin Kokorin, investigador sênior para casos particularmente importantes do Comitê de Investigação da Federação Russa para a República Udmurt, está processando Mikhail Derendyaev, Alexander Kutin e Sergey Ashikhmin como réus sob a Parte 1 do Artigo 282.2 do Código Penal da Federação Russa.

    Entre outras coisas, os fiéis são acusados de cultos presenciais e online, onde assistiram a vídeos religiosos, rezaram, cantaram músicas e falaram sobre precauções contra a pandemia entre 20 de abril de 2017 e 14 de abril de 2021. A investigação considera tudo isso como "ações ilegais".

  • #
    14 de fevereiro de 2022

    O caso é submetido ao Tribunal Distrital de Pervomaisky de Izhevsk. Ele é nomeado para a juíza Marina Khokhryakova.

  • #
    14 de março de 2022 Audiência num tribunal de primeira instância

    A defesa pede a extinção da ação penal pela ausência de corpus delicti e a exclusão das provas do exame do ANO "Centro Interregional de Perícias de Kazan", datado de 25 de setembro de 2019 e 5 de agosto de 2021, referindo-se ao fato de que os especialistas do centro não possuem qualificações suficientes para uma conclusão objetiva sobre o caso. O promotor contesta.

  • #
    21 de março de 2022 Audiência num tribunal de primeira instância

    O promotor lê as acusações. Sergey Ashikhmin, Maksim Derendyaev e Aleksandr Kutin se declaram inocentes.

    Kutin expressa sua atitude em relação às acusações: "Minhas convicções religiosas e consciência são incompatíveis com o conceito de 'extremismo', que inclui a provocação de motins, ataques terroristas, bem como violência e intolerância contra as autoridades. Há 20 anos vivo de acordo com os princípios da Bíblia, que me ensinam a respeitar a autoridade e amar o próximo".

  • #
    4 de abril de 2022 Audiência num tribunal de primeira instância

    O tribunal interroga uma testemunha para a acusação - a esposa de Alexander Kutin. Ela relata que o marido nunca apoiou nenhuma violência, não chamou ninguém ao ódio ou à desobediência à autoridade. Ela descreve Alexandre como um marido gentil, atencioso e uma pessoa responsável que cuida de sua mãe e sogra.

  • #
    11 de abril de 2022 Audiência num tribunal de primeira instância

    O juiz se recusa a atender ao pedido anteriormente apresentado pela defesa para encerrar a ação penal.

    O tribunal começa a se familiarizar com os materiais do caso (volumes 1 e 2).

  • #
    18 de abril de 2022 Audiência num tribunal de primeira instância

    9 pessoas vêm apoiar os fiéis, mas não lhes é permitido entrar na sala de audiências, uma vez que as sessões decorrem à porta fechada.

    Alexander Kutin apresenta uma moção para recusar um advogado por nomeação, mas o juiz rejeita-a. O promotor anuncia o conteúdo dos protocolos de busca e a conclusão de um amplo exame psicológico e psiquiátrico.

  • #
    16 de maio — 18 de julho de 2022 Audiência num tribunal de primeira instância

    Ao longo de 4 sessões, o tribunal analisa volumes do caso do dia 8 ao dia 10.

    O juiz rejeita o pedido de Maksim Derendyaev para recusar um advogado por nomeação.

  • #
    8 de agosto de 2022 Audiência num tribunal de primeira instância

    O tribunal continua a familiarizar-se com os materiais do caso. Durante a audiência, Aleksandr Kutin chamou a atenção do tribunal para o fato de que alguns dos materiais em questão datam de setembro de 2014, quando as atividades das Testemunhas de Jeová na Rússia não foram proibidas e, portanto, não podem ser usados pela acusação como prova.

  • #
    15 de agosto de 2022 Audiência num tribunal de primeira instância

    O juiz rejeita a petição de Sergey Ashikhmin para recusar um advogado por nomeação.

    O promotor conclui o anúncio dos materiais escritos do caso.

  • #
    5 de setembro de 2022 Audiência num tribunal de primeira instância

    O tribunal ouve gravações de conversas telefônicas de fiéis. Em seguida, os presentes assistem a um vídeo do serviço.

  • #
    12 de setembro de 2022 Audiência num tribunal de primeira instância

    Os réus voltam a se candidatar para a realização de audiências judiciais em modo aberto. Devido à situação epidemiológica, o tribunal recusa.

  • #
    2 Novembro — 12 Dezembro 2022 Audiência num tribunal de primeira instância

    Seis sessões seguidas — 2, 7, 14, 21 de novembro, 5 e 12 de dezembro — o tribunal assiste a gravações em vídeo dos autos.

    O promotor pede para parar de assistir às reuniões de culto e começar a interrogar as testemunhas de acusação.

  • #
    16 de janeiro de 2023 Audiência num tribunal de primeira instância

    Yevgeny Stefanidin está sendo interrogado. Respondendo à maioria das perguntas, ele usa o artigo 51 da Constituição da Federação Russa, que lhe permite não testemunhar contra si mesmo e seus entes queridos. Ele não corrobora seu depoimento durante a investigação preliminar e afirma que foi intimidado pela instauração de ação penal e demissão do cargo. (Em dezembro de 2022, um processo criminal foi aberto contra ele). Stefanidin diz que os réus respeitam as pessoas e não ouviu nenhuma declaração extremista delas.

    A próxima testemunha diz que conhece Derendyaev, Kutin e Ashikhmin "como pessoas sérias, sem maus hábitos, que valorizam a vida e a sociedade em que vivem" e acrescenta que "não juram, são trabalhadores, cumpridores da lei".

    Além disso, um homem que participou de cultos das Testemunhas de Jeová antes de 2013 é interrogado. Ele não consegue responder a muitas perguntas e não confirma alguns dos depoimentos registrados no protocolo.

    Apesar da objeção da defesa, o depoimento é dado por um representante da comunidade judaica. De acordo com o conselho, ele não é um especialista ou especialista em estudos religiosos, não é competente para dar explicações sobre a denominação das Testemunhas de Jeová e é tendencioso por causa de suas crenças religiosas. Ao mesmo tempo, a testemunha admite que não conhece pessoalmente os arguidos, não viu qualquer manifestação de agressão por parte deles.

  • #
    23 de janeiro de 2023 Audiência num tribunal de primeira instância

    O advogado pede a devolução do processo criminal ao Ministério Público em conexão com as violações do Código de Processo Penal da Federação Russa. O procurador contesta, pois considera estas violações "insignificantes" e "a petição é infundada". O juiz concorda com a posição do promotor: anexa a petição aos autos, mas se recusa a satisfazê-la.

    Uma idosa está sendo interrogada. Ela afirma repetidamente que, no momento de seu depoimento, estava em estado de estresse e estava sob pressão dos investigadores. Descrevendo os réus, ela diz: "Bons meninos. Ninguém fuma, ninguém bebe, boas famílias." A mulher não ouviu nenhum apelo ao extremismo por parte deles.

    O tribunal defere o pedido do Ministério Público para ler a ata do interrogatório da mulher. A defesa contesta, argumentando que ela está na sala de audiência e pode explicar a diferença no depoimento. A testemunha afirma: "Eu não entendi o que eu estava falando ali, eu estava em um estado de estresse. Quero que minhas respostas [de hoje] sejam registradas."

    A esposa de Maksim Derendyaev está sendo interrogada. Respondendo a algumas das perguntas, uma mulher goza do direito constitucional de não testemunhar contra si mesma e seus entes queridos. Sobre o marido, ela diz: "Maxim é suave, nunca levanta a voz, com bom senso de humor, carinhoso". Ela também fala sobre as doenças crônicas dela e do marido e o fato de que o pai de Maxim precisa de sua ajuda constante.

    A mulher alega que os réus não pediram a recusa de intervenção médica, o rompimento de relações familiares ou o descumprimento de deveres civis.

  • #
    20 de março de 2023 Audiência num tribunal de primeira instância

    Um casal está sendo interrogado. Em resposta a uma série de perguntas, a mulher usou o artigo 51 da Constituição, enfatizando que não se recusou a depor. Ela fala dos réus como pessoas gentis e cumpridoras da lei. Ela não está familiarizada com a redação legal relativa às pessoas jurídicas das Testemunhas de Jeová.

    O homem diz que viu os réus pela primeira vez na audiência anterior, por isso não pode dizer nada sobre a atitude deles em relação a outras religiões.

  • #
    27 de março de 2023 Audiência num tribunal de primeira instância

    Três testemunhas idosas estão sendo interrogadas. Segundo testemunhas, os réus não tratavam ninguém com ódio e não pediam discriminação por qualquer motivo. Testemunhas falam deles como bons homens de família, trabalhadores exemplares e pessoas gentis.

  • #
    3 de abril de 2023 Audiência num tribunal de primeira instância Interrogação

    Testemunhas cujas casas foram revistadas estão sendo interrogadas.

    Um deles diz sobre os réus: "Quando eu tinha dificuldades, eles me ajudavam, davam apoio, como verdadeiros amigos".

    Outra testemunha enfatiza a gentileza e a receptividade dos réus, descrevendo-os como pessoas calmas e adequadas. Ele diz que não ouviu dos réus nenhuma declaração negativa sobre pessoas que não professam a religião das Testemunhas de Jeová.

  • #
    24 de abril de 2023 Audiência num tribunal de primeira instância Interrogação

    O interrogatório das testemunhas de acusação está em andamento. Todos eles, incluindo uma ex-Testemunha de Jeová, caracterizam consistentemente os réus apenas de um ponto de vista positivo.

    De acordo com um deles, "Derendyaev é honesto, decente, cumpridor da lei, paga impostos. Kutin é sensível, atencioso e se preocupa com os outros. Ashikhmin... pronto para ajudar, sem conflitos."

    Outra testemunha observa que o registro de seu interrogatório contém muitas imprecisões e palavras soltas, que foram adicionadas por alguém mais tarde.

  • #
    22 de maio de 2023 Audiência num tribunal de primeira instância Interrogação

    O Ministério Público deverá solicitar a divulgação do depoimento da testemunha prestada durante a investigação preliminar. Ela mesma explica que "testemunhou em estado psicologicamente deprimido" e que foi pressionada durante o interrogatório. Outro diz: "Não me lembro, não entendi bem na época, estava em estado grave, as perguntas eram incompreensíveis". Apesar disso, seus depoimentos são expressos. As mulheres parcial ou totalmente não confirmam suas palavras.

  • #
    29 de maio de 2023 Audiência num tribunal de primeira instância

    O interrogatório de testemunhas está em andamento. Uma mulher diz que conhece os réus, mas não os vê há muito tempo. Ela fala positivamente sobre eles, dizendo, por exemplo, que Derendyaev a ajudou a montar o armário.

  • #
    17 de julho de 2023 Audiência num tribunal de primeira instância

    Inquirição de seis testemunhas. Uma delas, respondendo à pergunta se precisa de uma pessoa jurídica para adorar a Deus com amigos e parentes, responde negativamente.

    Todas as testemunhas confirmam que os arguidos não ouviram declarações extremistas, apelos ao corte das relações familiares, declarações que contêm uma avaliação negativa de pessoas que não professam a religião das Testemunhas de Jeová, bem como apelos para minar os fundamentos da ordem constitucional e da segurança do Estado. Eles também dão aos réus uma característica positiva. Por exemplo, uma das testemunhas diz que os réus são "muito gentis, simpáticos, benevolentes; Bons homens de família sempre vão ajudá-lo quando você se sentir mal."

  • #
    14 de agosto de 2023 Audiência num tribunal de primeira instância

    Um homem que participou de cultos das Testemunhas de Jeová em 1990-2000 está sendo interrogado como testemunha da acusação. Ele diz que isso o ajudou a entender melhor a Bíblia. Ele caracteriza os réus da seguinte forma: "Não conheci uma única pessoa lá que me tratou mal. Por favor, não os julguem, são pessoas muito boas."

  • #
    28 de agosto de 2023 Audiência num tribunal de primeira instância Testemunha secreta

    A testemunha de acusação Pavel Kosarev, oficial do FSB, está sendo interrogada na audiência. Ele relata que há uma testemunha secreta no caso que ajudou a "identificar o acusado e outros membros".

    Quando questionado por Kutin se o disposto no artigo 28 da Constituição da Federação Russa foi levado em conta ao decidir iniciar a ORM, o agente responde: "Não é proibido professar livremente a fé em nosso país, mas os anciãos da congregação continuaram as atividades de uma organização extremista". Ao mesmo tempo, a testemunha, embora afirme ter se familiarizado com a Carta da LRO, classifica erroneamente o termo canônico "anciãos" como uma pessoa jurídica na qual nunca houve "anciãos".

  • #
    13 de outubro de 2023 Audiência num tribunal de primeira instância Interrogação

    A testemunha de acusação Kirill Krayushkin, que conduziu filmagens secretas de cultos, está sendo interrogada. Ele diz ao tribunal que conhece o réu Sergey Ashikhmin, pois ele falou com ele sobre Deus e a Bíblia. A testemunha diz que trata bem Sergey, não percebeu nenhuma negatividade ou pressão de sua parte. Quando perguntado por Ashikhmin por que Krayushkin acredita que as Testemunhas de Jeová são proibidas, ele diz que leu sobre isso na Internet sem verificar a autenticidade das fontes.

    A testemunha também informa ao tribunal que continuou voluntariamente a frequentar os cultos das Testemunhas de Jeová após 2017. Ao mesmo tempo, ele não os considerava extremistas, mas os considerava uma oportunidade de se familiarizar com a Bíblia e as visões religiosas das Testemunhas. Ao ser questionada pelo advogado se foi pressionada nesses serviços e se passou a pensar como extremista, a testemunha respondeu negativamente. Ele também afirma que não ouviu nenhum recurso contra as autoridades estaduais nos serviços.

    Além disso, Krayushkin diz que não vê diferença entre as reuniões de crentes e a organização. Às perguntas do réu Maksim Derendyaev, se ele pode nomear as pessoas jurídicas das Testemunhas de Jeová, se viu os documentos da LRO ou seu estatuto, a testemunha responde negativamente.

  • #
    30 de outubro de 2023 Audiência num tribunal de primeira instância Interrogação Testemunha secreta

    Uma testemunha secreta sob o pseudônimo de Aleksey Alekseev, que forneceu informações aos detetives e ao investigador e lhes deu explicações sobre imagens de vídeo escondidas de cultos, está sendo interrogada.

    O tribunal rejeita o pedido do réu Alexander Kutin para desclassificar a testemunha, uma vez que ele é contra.

    Alekseev informa ao tribunal que frequenta os serviços das Testemunhas de Jeová desde 2004. Ele confirma que a organização religiosa das Testemunhas de Jeová é internacional. Ele também diz que frequentava cultos e participava do trabalho de pregação voluntariamente e o fazia com o propósito de estudar a Bíblia.

    A testemunha relata que não conhece nenhum documento de pessoas jurídicas das Testemunhas de Jeová. Quando questionado pelo réu Maksim Derendyaev se é necessário pertencer a alguma organização para praticar a religião das Testemunhas de Jeová, ele acha difícil responder.

    No final do interrogatório da testemunha secreta, Maksim Derendyaev faz um pedido reiterado para a sua desclassificação, argumentando que o uso de tais medidas de segurança extraordinárias deve ter motivos sérios, e a testemunha não as declarou e não houve ameaças dos réus ou de outras pessoas contra ele. O tribunal juntará a presente petição aos autos.

  • #
    11 de dezembro de 2023 Audiência num tribunal de primeira instância Interrogação

    Sete testemunhas de defesa estão sendo inquiridas. Caracterizam positivamente os arguidos, dizendo que têm famílias fortes e boas relações com os pais, são responsáveis pelo seu trabalho, estão sempre prontos a ajudar e não recusam tratamento médico. As testemunhas não ouviram dos réus declarações negativas sobre as autoridades estatais e representantes de outras religiões.

  • #
    25 de dezembro de 2023 Audiência num tribunal de primeira instância

    Maxim Derendyaev chama a atenção para o fato de que, na época do registro da organização religiosa local (1992), ele e Alexander Kutin eram crianças pequenas, e Sergey Ashikhmin vivia em outra república. Portanto, nenhum deles pode ser o fundador desta LRO.

    As características dos réus são investigadas. Os vizinhos dos fiéis e o policial distrital os avaliam positivamente: são pessoas educadas, calmas, equilibradas, não quebram o silêncio, não foram vistos bêbados, têm famílias fortes.

    O response to Irina Yakku from the Ministry of Foreign Affairs of the Russian Federation dated 02/20/2021 is announced, which, among other things, says: "Members of a liquidated organization can independently practice religious worship, including as part of religious groups that do not require registration."

  • #
    15 de janeiro de 2024 Audiência num tribunal de primeira instância

    O tribunal, a pedido de Maxim Derendyaev, anexa aos autos a resposta do Ministério da Justiça de Udmúrcia ao pedido dos fiéis. Diz que os réus não foram os fundadores do LRO em Izhevsk.

    O tribunal rejeita o pedido de divulgação dos dados da testemunha secreta.

  • #
    29 de janeiro de 2024 Audiência num tribunal de primeira instância Interrogação

    O tribunal rejeita o pedido de exclusão de provas obtidas em violação da lei, prometendo avaliá-las na sentença.

  • #
    5 de fevereiro de 2024 Audiência num tribunal de primeira instância Interrogação

    Os documentos médicos dos réus deverão ser anexados aos autos.

    Dois investigadores que interrogaram três testemunhas do caso testemunham em relação ao fato de que as mulheres afirmaram que foi exercida pressão sobre elas.

  • #
    11 de março de 2024 Audiência num tribunal de primeira instância Ministério Público pediu punição

    O promotor pede 7 anos de prisão em uma colônia para Maksim Derendyaev, Sergey Ashikhmin e Aleksandr Kutin.

  • #
    25 de março de 2024 Audiência num tribunal de primeira instância Alegações finais da defesa

    O debate da defesa está ocorrendo. O advogado de Maksim Derendyaev observa: "[O tribunal] precisa separar as ações destinadas a detectar o extremismo da realização de ritos religiosos sem elementos de extremismo". Ela acrescenta: "Ele [Derendyaev] é apenas uma pessoa profundamente religiosa. Ele queria seguir o exemplo de Jesus Cristo".

    O advogado de Aleksandr Kutin diz: "Acredito que o principal erro da acusação é que ela está procurando algum tipo de organização na forma como o culto é conduzido, e não o extremismo genuíno em si". Ele também observa: "O conteúdo das publicações discutidas pelos crentes (...) é exatamente o oposto dos sinais de ódio e inimizade que o STF formulou e destacou".

    O advogado de Sergey Ashikhmin afirma: "Nenhuma das acusações apresentadas na acusação foi confirmada, tanto durante a investigação preliminar quanto durante a consideração do caso criminal no presente julgamento".

  • #
    22 de abril de 2024 Na sala de audiências Audiência num tribunal de primeira instância Declaração final

    Alexander Kutin e Sergey Ashikhmin fazem suas considerações finais.

    Kutin afirma: "Minhas crenças sempre foram exclusivamente pacíficas, então não há vítimas ou vítimas no caso".

    Ashikhmin observa: "Minhas ações e palavras não poderiam prejudicar a ordem constitucional ou a segurança do Estado, uma vez que a Bíblia me encoraja a amar meu próximo e respeitar as autoridades".

  • #
    13 de maio de 2024 Na sala de audiências Sentença de primeira instância Testemunha secreta Artigo 282.o, n.o 2, n.o 1 Privação de liberdade Declaração final

    "Nunca forcei ninguém a viver de acordo com as leis de Deus ou a praticar a religião proibida das Testemunhas de Jeová", Maxim Derendyaev faz sua declaração final.

  • #
    16 de maio de 2024 Centro de detenção Cartas

    Alexander Kutin, Maksim Derendyaev e Sergey Ashikhmin estão no SIZO-1 na República de Udmurt, onde foram colocados imediatamente após o anúncio do veredicto. Eles podem escrever cartas.

  • #
    7 de junho de 2024 Centro de detenção

    Maksim Derendyaev está no centro de detenção preventiva de Izhevsk há 3 semanas. Ele está detido em uma cela de 4 leitos. O crente tem sua própria cama. Maksim tem relações normais com seus colegas de cela e com a administração do centro de detenção provisória.

    Derendyaev pode fazer caminhadas e exercícios, o que o ajuda a manter sua saúde. Os funcionários da unidade médica estão prontos para lhe dar os medicamentos necessários.

    A Bíblia do crente foi apreendida para verificação. É apoiado por transmissões e inúmeras cartas, principalmente e-mail, das quais cerca de 50 vieram em três semanas.

  • #
    10 de junho de 2024 Centro de detenção Cartas Tratamento médico dentro do Serviço Penitenciário Federal

    Enquanto estão em prisão preventiva, Sergey Ashikhmin e Aleksandr Kutin mantêm uma atitude positiva. São permitidas caminhadas diárias. Os fiéis ainda não têm Bíblias, pois os livros foram apreendidos para inspeção quando entraram no centro de detenção provisória. Os homens recebem encomendas de amigos e familiares.

    Sergey Ashikhmin está detido em uma cela de 6 leitos. Seus companheiros de cela mostram respeito por ele como o mais velho. O crente tem problemas de saúde — em 2020, passou por uma cirurgia cardíaca. Ele ainda tem todos os medicamentos necessários, mas não é possível realizar exames mensais obrigatórios no centro de detenção provisória, o que pode representar uma ameaça real à sua saúde e vida.

    Sergey sente falta da esposa: "Há 16 anos de casamento, eu e minha esposa não nos separamos há mais de um mês". O crente é apoiado por cartas de diferentes países. No total, ele já recebeu cerca de 100 deles. Embora Sergey ainda não tenha óculos de leitura, ele tenta responder a todas as cartas.

    Aleksandr Kutin é mantido em uma cela de 4 camas para não fumantes, onde os prisioneiros mantêm a limpeza. Como o crente ainda não está matriculado na biblioteca, ele aproveita para ler ficção de seus colegas de cela. Alexandre tem tosse crônica, os medicamentos necessários estão disponíveis na unidade médica. Durante sua permanência no centro de detenção provisória, ele recebeu 38 cartas. Emocionado, ele é amparado pelas fotos da esposa, que carrega consigo.